USINA DE DESSALINIZAÇÃO A VÁCUO SOLAR OFFSHORE

Quando o assunto é SECA no Nordeste do Brasil, partimos do principio de que todos os nordestinos conhecem muito bem o histórico das secas, que durante séculos, a cada dez anos, têm registros repetidos de uma seca por década que vem castigando esse povo tão sofrido. Por isso, não há porque discutirmos aqui sobre a “SECA” ou a crise hídrica. A questão mais importante agora é termos consciência de que é preciso cobrar, urgentemente, a quem é de direito, uma solução que seja eficiente e permanente para o problema da seca no nordeste, o que já deveria ter resolvido tão grave pendencia. Em pleno século XXI, não podemos aceitar que os nordestinos continuem dependendo e esperando apenas das chuvas, rezas,  da “tecnologia dos carros pipas” ou do seu precursor “jegue pipa”, com cabaças presas nas cangalhas de jumentos, como alternativas de solução aos problemas da seca.

Em 2008, uma solução encontrada para esse problema foi colocar em prática uma ideia centenária: a Transposição do Rio São Francisco. A água dessa transposição servirá para estoque d’água nos reservatórios nordestinos de quatro estados brasileiros. Hoje, devido a necessidade premente de água no Nordeste, não podemos desprezar os benefícios dessa solução e sim acelerar a solução. Mas não devemos esquecer que, apesar deste insumo ser renovável, ele é limitado pela própria natureza e lembrar que também a natureza agredida vem sofrendo constantemente agressões ambientais, o que pode levar a falta d’água também no Rio São Francisco.

Diante deste cenário, é necessário buscarmos alternativas definitivas para a solução do abastecimento d’água no Nordeste. Para isto, precisamos primeiro sair do discurso comum acerca das culpas e quem são os culpados por este problema. Também é necessário lutarmos para acabar com a receita e os prejuízos da seca. Feito isto, devemos partir para a concretização de uma medida definitiva para a solução do problema, e esta solução já existe: É a tecnologia de dessalinização da água do mar. Com essa alternativa viável e eficaz, tanto a população quanto o investidor que assumirá a construção de uma usina de dessalinização, ganharão. A população ganha porque irá consumir, diariamente, água potável dessalinizada; o investidor ganha também, porque o sal produzido será utilizado refinado  e a agua vendida, gerando com isso, ganho financeiro, chega de tantos relatórios, vamos praticar, a sede não espera.

Sobre essa tecnologia da dessalinização da água do mar, muitas controversas ao longo dos anos foram geradas, mas muitos paradigmas já estão sendo quebrados. O primeiro paradigma já quebrado é que a energia solar para uso da dessalinização da água, antes considerada muito cara, não é mais vista desta forma, porque energia solar é gratuita, não é cara. Outro ponto positivo a favor da implantação de um projeto de dessalinização da água do mar é que a água do mar é infinita e, por isso mesmo, poderá ser utilizada sem limites de consumo, bastando apenas que seja dessalinizada.

A nova tecnologia de dessalinização a vácuo 100% solar existe, é cearense e é viável. Mas, por falta de informação e leitura sobre esta nova tecnologia, muitas pessoas permanecem no inteiro desconhecimento sobre isto e desconhecem, totalmente, que o investimento e a manutenção de uma usina de dessalinização solar podem ser feitos através do próprio beneficiamento da produção industrial dos insumos minerais advindos da dessalinização da água, dentre eles, o sal, e assim, a usina dessalinizadora vira uma salina tecnológica.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

error: Conteúdo Protegido!