Fernando Ximenes ( Cientista Industrial fez uma apresentação  mostrando a pluviometria (2016) da RMF – Região Metropolitana de Fortaleza e o potencial do Aquífero PALEODUNAS  (foto acima),  na cor azul  mostrando a HIDRO GEOLOGIA da RMF- Região Metropolitana de Fortaleza entre o Trairi a Cascavel,  o aquífero de Dunas/Paleodunas, tendo sua água de excelente potabilidade, quando Ximenes falou: Devemos na emergência da seca enquanto desenvolvemos os estudos de dessalinização marinha à vácuo solar offshore Gram-Eollic, paralelamente escavar poços tubulares rasos para captar água deste aquífero hidrológico, nele em média o nível estático oscila entre 3 a 6 metros e a  profundidade nos poços entre 8 a 30 metros e  vazão variando entre 3 m³/h a 15 m³/h, assim os custos são baixos e viáveis, nesta linha o governo deveria uma ação para fazer e incentivar a população o uso das águas do Paleodunas.

Ximenes prolongou o espaço concedido na sua fala dizendo:

Fortaleza pode ser autossuficiente na produção de água potável através do AQUÍFERO PALEODUNAS , considerando  a reserva total AQUÍFERO PALEODUNAS  na área litoral da RMF com aproximados  170 Km², o volume  é aproximado de 1,89 bilhão de metros cúbicos  (quase a capacidade total  do açude  Orós  com 2,1 bilhões  m³).

Entre as perguntas dos deputados, Ximenes disse: Adotando-se o método para os cálculos hidrológicos, os volumes de capacidade para o AQUÍFERO PALEODUNAS  da RMF – Região Metropolitana de Fortaleza,  possui reservas renováveis podendo ser recarregado em apenas 53 dias para o abastecimento anual de Fortaleza.

Fernando Ximenes  frisou: Enquanto a dessalinização d’água do mar não vem, não podemos ignorar o potencial do AQUÍFERO PALEODUNAS da RMF.

Categories: Novidades

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

%d bloggers like this: